top of page

Você acredita em Jesus?

Vamos supor que Jorge Jesus diga que vai voltar ao Flamengo ao final da temporada Europeia, e que o Flamengo aceite esperá-lo. Você, flamenguista, acredita 100% na palavra do treinador, ou é possível que, neste meio tempo, surja uma outra proposta no velho continente e ele deixe o Flamengo, mais uma vez, à ver navios?

Na minha vida de torcedor, eu vi muitos casos de idolatria, amor e adoração. Mas nunca vi isso que acontece com o Flamengo - a maneira que a torcida se sujeita aos caprichos de um ex-técnico e se deixa manipular por ele.

Jesus enrola a Nação como aquela paixão que te cozinha em banho-maria. Todos nós já passamos por isso: Você chama para sair, ela diz que não pode. Fala que quer ficar com você, mas não agora. E quando você conhece outra pessoa, te liga no meio da noite dizendo que está com saudade. Se você é jovem está passando por isso neste momento, sinto lhe dizer, mas você é a segunda opção. Assim como o Flamengo sempre foi a segunda opção para Jorge Jesus.

Quando veio a proposta do Benfica, ele não teve problema nenhum em abandonar o rubronegro e ir embora. Essa opção, no entanto, nunca existiu na situação inversa. Ele não aceitou deixar o Benfica no meio do trabalho, assim como agora não quer abandonar a Turquia. O amor de Jesus pelo Flamengo é condicional - ele ama quando não há nada melhor - e os românticos vão dizer que, se é condicional, não é amor.

A situação do treinador é clara: ele está na semifinal da Copa da Turquia e não deixará o clube diante da possibilidade de título. Muitos torcedores flamenguistas vão ficar bravos de ouvir isso, mas para ele é mais importante vencer a Copa da Turquia do que voltar agora. Como todo bom Don Juan, no entanto, Jesus tem charme e sabe trabalhar isso a seu favor.

A notícia que circula, seja por entrevista ou áudio “vazado”, é sempre de que ele está doido para voltar. Aí quando o Flamengo vai lá conversar com ele, descobre que não é bem assim. E a nação jamais pressiona o treinador, apenas a diretoria, o que o deixa numa posição muito confortável para negociar. Até quando durará esse ciclo?

Por tudo isso, respondendo a pergunta que fiz no começo do texto, eu não acredito em Jesus. Mesmo que ele diga que voltará, duvido que ele assine qualquer contrato que o impeça de aceitar uma proposta maior que por ventura surja nesse meio tempo. E enquanto isso o Flamengo que espere, período que pode ser de um mês, caso ele seja eliminado, ou que pode durar até junho se ele chegar na final da copa turca.

Para mim, é maluco. Talvez seja uma questão etária: o flamenguista que cresceu na fase ruim do clube, e atingiu o ápice com o treinador, talvez realmente acredite que não existe vida sem ele. Mas existe. Daqui 100 anos não existirá mais eu, você, nem Jorge Jesus. Mas ainda existirá o Flamengo.

Que o treinador foi fantástico em 2019, não há dúvidas. Que ele pode ser fantástico de novo, há. Desde sua saída, o Flamengo continuou ganhando títulos. Ele, não. Ainda assim, nada impede que ele volte e faça um ótimo trabalho de novo. A questão central, para mim, é que a maneira com que ele trata o Flamengo deveria causar mais incomodo na torcida do que realmente causa. A história vencedora dele com o clube não é uma história de amor incondicional pelo Flamengo. Essa é a história de Jayme de Almeida, Andrade e tantos outros profissionais que a vida toda colocaram o clube em primeiro lugar.

O trabalho dele no Brasil foi fantástico, e como fã de futebol, torço para que ele volte e repita o sucesso. Mas torço também que ele tenha mais respeito por uma instituição imensa e pela nação de torcedores que o idolatra.

Posts recentes

Ver tudo

A vida pós-deprê

Se você me perguntar o que aconteceu entre meus 28 anos até os 34, eu não sei responder. Quando penso nessa época, a única coisa que me lembro é de estar triste. Foram cinco anos, mais ou menos, mal c

Comments


bottom of page